segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Não me condenem!

 Não me condenem por dizer que não gosto de Portugal ou muito menos me censurem por dizer que também não gosto dos Portugueses porque quem diz a verdade não merece castigo! Estou a ser sincera contigo, Portugal destruiu a minha felicidade, os meus sonhos, a minha irreverência e esperança e só me ofereceu desgostos e vergonha por aquele que deveria ser o meu berço.
 Os portugueses perderam a voz, a força, a nacionalidade, a alma e a coragem daqueles que em tempos enfrentaram mares desconhecidos e descobriram paraísos, "aqueles" que deram nome e força a Portugal que com o tempo deixámos que se perdesse... fomos grandes e hoje somos minúsculos. Conquistávamos o mundo e hoje só obtemos dívidas. Tínhamos força, coragem e garra e hoje sujeitamos-nos ao fracasso, ao desânimo e ao medo. Tínhamos muito e hoje nada temos porque não fazemos a nossa voz se ouvir, não nos recordamos da força que temos e esqueçemo-nos daquilo que realmente somos ... Portugueses!
 Eu vou embarca em novas aventuras, descobrir terrenos desconhecidos e novas línguas mas um dia eu volto para relembrar ao mundo e a nos mesmos daquilo que realmente os portugueses são feitos.
Com amor,
❤ Hellen Henriques.

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Quem sou?

 Olho-me ao espelho e converso com o meu reflexo, desfilo toda descabelada por casa, refilo com o mundo quando os meus planos saem furados e desabafo com os objetos porque eles não se aborrecem. Não sigo a moda á risca, calço o salto alto e desfilo por casa, faço um "cocó" quase solto no alto da cabeça e danço ao som do aspirador. Sou politologa, dou espetáculos exclusivos como cantora e dançarina e sou a estrela principal do videoclip que imagino enquanto tenho os phones nos ouvidos. O meu relógio está sempre atrasado ou adiantado, riu-me sozinha enquanto vou pela rua, sorrio para o telemóvel, falo para os animais como se fossem bebés e fico com remorsos quando mato moscas. Deito a cabeça na almofada e adormeço enquanto imagino um futuro mágico... sou assim sem máscaras uns dias felizes, outros nem tanto!
Com amor,
❤ Hellen Henriques.